• Secretaria de Infraestrutura e Logística
  • BIM DER - Obras Rodoviárias
  • BIM - Paraná Edificações
  • BIM DER
  • Building Information Modeling

BIM no Mundo

Estados Unidos

Em 2003, a General Services Administration (GSA), através do seu serviço de edifícios públicos, criou o programa nacional denominado 3D-4D-BIM Program. Em 2006, a GSA decretou a obrigatoriedade da utilização do BIM para a fase de projetos de novos edifícios públicos. Ao mesmo tempo, a GSA fez um inventário BIM da utilização de 31.772.841m² dos espaços de escritórios públicos e, desde setembro de 2006, ele é obrigatório em todos os projetos custeados pela General Services Administration - GSA (prédios civis federais), inclusive nas edificações militares (US Army Corps of Engineers; US Department of Veteran Affairs e US Coast Guard). Segundo o SmartMarket Report de 2012 a utilização do BIM nos Estados Unidos saltou de 40% em 2009 para 71% em 2012.

Singapura

Singapura implementou o Sistema de aprovação de projetos mais rápido do mundo. O sistema foi implementado em 2008 pela Building Construction Authority - BCA29. Os projetistas somente precisam submeter os Projetos para aprovação através de um portal eletrônico em um modelo que contenha as informações necessárias para a aprovação. Em 2011 foram incluídos também os projetos de Instalações Hidráulicas, Elétricas e Ar Condicionado. O prazo atual de aprovação é de 26 dias e a meta para 2015 é reduzir esse prazo para 10 dias. O objetivo do BCA é obter 80% dos projetos em BIM em 2015.

Reino Unido

O objetivo primordial da iniciativa do Governo do Reino Unido, no setor da construção, é reduzir o custo dos projetos de construção do governo em 20% e reduzir a intensidade da emissão de carbono, de acordo com seus compromissos de carbono da União Europeia. Para atingir sua meta, o Governo do Reino Unido tem realizado várias iniciativas uma das quais é um compromisso para o BIM em projetos do governo ao longo de um período de 5 anos, e exigindo BIM Nível 2 (modelagem e interoperabilidade) até 2016. O objetivo é incentivar a indústria a participar neste esforço, e para posicionar o Reino Unido para se tornar um líder mundial em BIM.

Noruega

Na Noruega, quem decidiu pela utilização do BIM para todo o ciclo de vida dos seus edifícios, foi a empresa estatal Statsbygg. Desde 2007, os projetos federais e aqueles que sejam realizados com pelo 50% de recursos públicos são em BIM, e desde 2012 o seu uso é obrigatório para obras municipais e estaduais depois de determinado valor. Ainda, em 2012 a Norwegian Public Roads Administration e a Norwegian National Rail Administration passaram a exigir BIM em suas diretrizes.

Dinamarca

Na Dinamarca, a empresa estatal the Palaces & Properties Agency e o Defense Construction Service exigem o BIM em todos os seus Projetos.

Finlândia

A estatal Finlandesa Senate Properties obriga o uso do BIM em seus Projetos desde 2007. A Finlândia é pioneira na utilização da plataforma BIM em obras de engenharia com projetos desde 2001. A Finish Transport Agency exige que todos os grandes projetos de infraestrutura sejam realizados em BIM.

Coreia do Sul

Na Coreia do Sul, o Public Procurement Service, órgão governamental responsável pelas necessidades habitacionais do país, obrigará o uso compulsório do BIM a partir de 2016 para projetos superiores a 50 milhões de dólares (setor privado) e para todos os edifícios públicos.

Holanda

Na Holanda, desde 2011 o BIM é obrigatório para projetos públicos. Em 2012 o Dutch Ministry of the Interior (RGD) obriga o uso do BIM para uso na manutenção de projetos grandes.

Chile

No Chile, desde 2011, o Ministério de Obras Públicas exige BIM em licitações de hospitais.

 

*Fonte: A IMPORTÂNCIA DO “BUILDING INFORMATION MODELING” PARA A GOVERNANÇA DE OBRAS PÚBLICAS A PARTIR DO PENSAMENTO SISTÊMICO - Hamilton Bonatto

 

Comunidade Européia

No início de 2016, 14 países da Comunidade Européia se reuniram oficialmente e formaram o Grupo de Trabalho "EU BIM Task Group", visando fomentar a utilização de BIM na administração pública na Europa. O esforço conjunto conta com financiamento da Comissão Européia para os anos de 2016 e 2017.

Fonte: www.eubim.eu

 

 

 

 

 

 

 

Recomendar esta página via e-mail: